Galeria Fotográfica

Ameaçava ruir, mas felizmente, a beleza do local convenceu-nos a seguir em frente.
Primeiras férias, início dos trabalhos. Éramos jovens e não tínhamos medo de arregaçar as mangas e pôr mãos à obra.
Um moinho sem mastro nem braços não é verdadeiramente um moinho, por isso tínhamos de procurar ajuda para devolvê-lo à vida, mas não foi fácil encontrar um carpinteiro que ainda soubesse deste ofício, pois poucos eram os que entendiam sobre este tipo de construção, à moda antiga: Uma obra que requeria cavilhas de madeira, ao invés de pregos, velhos utensílios artesanais, que deixavam de lado aparelhos elétricos. Só uma mão treinada pelos anos ainda conseguiria manusear com amor e habilidade todas estas ferramentas.
Localizado numa das colinas mais altas da região, o moinho desfruta de uma vista excepcional: O sol nasce no lado da montanha e deita-se sobre o oceano.
E se o tempo não colaborar com a vista magnífica, temos uma área de jantar protegida e todas as comodidades para que possa usufruir desta experiência única, mas sem esquecer o conforto: Existem uma cozinha e uma casa de banho, totalmente equipados.
No andar do meio do moinho fica o quarto e, sob o teto, o canto de leitura / música, onde você pode também planejar a sua próxima excursão desfrutando dum bom vinho do Porto.
Os anos passaram e foi preciso substituir uma das varas apodrecida e restaurar uma parte do mastro. Instalou-se uma caldeira e modernizou-se assim a energia eléctrica. A antiga bomba, que abastecia a cisterna, com água da chuva, foi finalmente cortada, com a chegada da água da companhia, em 2020! Foi como se o moinho tivesse finalmente encontrado o seu caminho para o mundo moderno, com tudo de bom que isso traz, mas sem nunca esquecer a nostalgia dos tempos antigos, que ainda se podem sentir em cada recanto.